Blog

 

Diogo Santos

Por Diogo Santos, Engenheiro Top Componentes

A Tecnologia Revolucionária dos Ímãs de Terras Raras

Ímãs de terras raras

Você sabe o que são ímãs de terras raras?

Os ímãs de terras raras são ímãs super potentes feitos de uma combinação de componentes como por exemplo Neodímio, Ferro e Boro. Pertencem à última geração de imãs permanentes e são os mais fortes e disponíveis no mercado atualmente.

Fornecem níveis incomparáveis de magnetismo e resistência à desmagnetização quando comparados à ferrita e alnico. Além dos imãs de neodímio, existem os feitos de Samario-Cobalto, que também são classificados de terras raras.

Para você ter uma ideia de sua força, um imã de terras raras do tamanho de uma moeda pequena é forte o suficiente para sustentar mais de 10 quilos.

De onde vem o nome “terras raras”?

Ímãs de terras raras

O termo “terras” foi empregado por ser relacionado a óxidos de terras, e o termo “raras”, pela dificuldade de sua extração, visto que seus elementos estão espalhados na crosta terrestre e misturados a outros minérios.

Portanto, o termo “raras” não se refere à escassez, pelo contrário, são abundantes. No entanto, não se encontram em locais específicos que facilitem a exploração.

Sendo assim, o termo “raras” não é utilizado no sentido exato da palavra, já que alguns desses elementos são mais abundantes até mesmo que o cobre e o ouro.

Vale esclarecer que as terras raras são o conjunto de 17 elementos químicos formados pelo escândio e o ítrio, e o grupo dos lantanídeos: lantânio; cério; praseodímio; neodímio; promécio; samário; európio; gadolínio; térbio; disprósio; hólmio; érbio; túlio; itérbio e lutécio.

Esses elementos apresentam propriedades importantes e são utilizados para aplicação em alta tecnologia.

Como surgiram os ímãs de terras raras?

Os ímãs de terras raras foram criados pela necessidade de encontrar uma alternativa mais econômica e de melhor desempenho aos ímãs de disponíveis na época. Ainda, pela necessidade de desenvolver equipamentos e dispositivos elétricos mais leves, eficientes e potentes.

Embora existam registros de que as pesquisas sobre as terras raras se iniciaram há quase 60 anos, foi nos anos 80 que Estados Unidos e Japão começaram a produzir os ímãs de neodímio e utilizá-los para os mais diversos fins. 

Hoje, indústrias como a de fabricação de motores elétricos, ciência médica, energia renovável e tecnologia dependem de ímãs de neodímio de superforça.

Sem dúvida, nos últimos 30 anos, muitos avanços tecnológicos foram possíveis graças aos ímãs de terras raras.

No Brasil, existe abundância de terras raras e a produção nacional de ímãs e a aplicação em diversos produtos vem aumentando.

Para que servem e onde são utilizados os ímãs de terras raras?

Ímãs de Terras raras

Os produtos feitos com essa tecnologia estão presentes no dia a dia muito mais do que você imagina. Podemos citar como exemplo:  

Aparelhos eletroeletrônicos, como televisores, smartphones e tablets, fones de ouvido, cabos de fibra óptica, catalisadores automobilísticos que diminuem a emissão de gases poluentes na atmosfera, equipamentos médicos, bombas, motores, geradores, imãs para geradores de turbinas eólicas e catalisadores para refino do petróleo.

Certamente, esses são apenas alguns exemplos, pois existe uma infinidade de outros usos.

A função dos ímãs de terras raras é potencializar o funcionamento dos dispositivos. Com esse material, o funcionamento dos equipamentos tem maior desempenho e menor consumo de energia. 

O uso de ímãs de terras raras nos acoplamentos magnéticos e variadores de velocidade MagnaDrive

Acoplamento magnético

A MagnaDrive é líder mundial em transferência de torque por magnetos permanentes. É uma inovação em tecnologia industrial que economiza energia, reduz custos de operação, manutenção e aumenta a confiabilidade dos sistemas, proporcionando excelentes resultados.

A tecnologia revolucionária das terras raras

Com uma vida útil média de 2.000 anos e a capacidade de resistir a temperaturas de até 176°C, os ímãs de terras raras utilizados na tecnologia MagnaDrive são resistentes e de alta potência.

Feitos de Neodímio-Ferro-Boro (NdFeB), estes magnetos permanentes são também compactos e leves, permitindo pequenos tamanhos e alta capacidade de transmissão de torque.

Na construção dos acoplamentos magnéticos e variadores de velocidade MagnaDrive, os rotores condutores de metais não ferrosos são conectados ao motor, enquanto os rotores com magnetos de terras raras são conectados à carga.

Assim, estes dois componentes nunca se tocam, criando o “Air Gap” (espaço de ar).

O fluxo magnético criado entre os rotores magnéticos e os rotores condutores gera o torque e transmite potência com segurança e eficiência à carga.

Quer assistir à demonstração do funcionamento dos acoplamentos magnéticos e variadores de velocidade MagnaDrive?

O que você achou dessa tecnologia revolucionária?

Na TOP Componentes você encontra esses e outros produtos de alta tecnologia desenvolvidos pela MagnaDrive.

Se você se interessou, entre em contato com a gente, nossa equipe terá prazer em atendê-lo(a).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *